Workshop USJT - 3º SEMINÁRIO INTERNACIONAL REPRESENTAR – 2015

14/11/2015 (sábado), das 9h às 16h

Laboratório de Informática - unidade Mooca

Após a inscrição imprimir o QR COde ou salvar a imgame no celular para validar seu ingresso no workshop

“Imãs e derivas da Mooca: uma aproximação poética ao espaço urbano do bairro”
Participantes: alunos de arquitetura e design (graduação e mestrado)
Professores ministrantes: Andréa de Oliveira Tourinho, Eneida de Almeida, Gastão Salles, Fernando Vázquez, Maria Carolina Maziviero, Maria Isabel Imbronito, Paula Belfort Mattos.

Material solicitado para os participantes:
- Celular (3G).
- Programa de cartografia colaborativa, ou registro de trilhas. Existem vários, mas os participantes deverão usar os que têm possibilidade de exportar dados reutilizáveis/intercambiáveis nos/com os demais softwares de edição de mapas (por exemplo: GPSLogger, MyMaps, MyTrack, ou outros similares). O aplicativo de cartografia que usaremos para baixar as informações posteriormente será o Geosetter.
- Caderno de notas.
- Rolo de barbante de 500 m (se possível colorido).

(Dúvidas sobre o material necessário, consultar os coordenadores do workshop)

Proposta de trabalho:
Registro, em base de dados colaborativa (a definir), dos percursos dos participantes / ministrantes em seus deslocamentos desde o local em que se encontrem às 7h00 do sábado, dia 14/11, até a Unidade Mooca da USJT (que será considerado como imã dos percursos).
O registro poderá ser de qualquer tipo (sonoro, gráfico, fotográfico, etc.), mas deverá constar da base cartográfica comum definida para guardar as informações da atividade.
A ferramenta principal de registro, portanto, será o aparelho celular ligado a uma rede 3G, que permitirá o registro imediato de dados usando o programa MyTrack e sua base de dados. Contudo, outras ferramentas, como desenhos, anotações e registros escritos, ou ainda fotografias tomadas por câmeras fotográficas digitais ou aparelhos sem 3G, que possam depois serem descarregados numa base comum, também serão bem-vindos.
O intuito da experiência será registrar, da forma que seja oportuna para cada participante, seu deslocamento de casa até a USJT, indicando, se possível, o meio de locomoção ou transporte utilizado, os pontos específicos de troca de meios (se houver), ou ainda as alterações significativas do percurso. Interessa articular ao registro do espaço percorrido, o tempo de deslocamento, e as expectativas e sentimentos dos que percorrem esse espaço.
O uso de uma plataforma unificada e colaborativa simplificará o armazenamento de registros, mas é importante que o participante não se sinta constrangido a usá-la como única forma de.expressão. O intuito será de máxima liberdade possível na ação.
Chegando ao ponto de encontro, Unidade Mooca USJT, os dados serão cotejados de modo a observar a variedade de informações e formas de expressão das mesmas, uma primeira imagem do percurso geral através da sobreposição dos percursos de todos os participantes poderá ser gerada nesse momento, para verificar o efeito do imã sobre os trajetos.
Depois de discutida a base do trabalho com os participantes, os professores ministradores darão uma apresentação de 15 minutos cada um, comentando experiências, casos, referências bibliográficas ou dados relacionados à deriva como forma de percepção da cidade, em como prática operativa (ou artística) de compreensão do urbanismo e de suas possibilidades como ferramentas de interpretação / gestão da cidade.
Na sequência, com a participação de todos, será desenvolvida uma atividade lúdica, estimuladora de novos vínculos e processos de reconhecimento do espaço e da própria locomoção na cidade, com a finalidade se alcançar uma aproximação às práticas da deriva nas imediações do edifício da USJT, portanto uma deambulação físico-perceptiva pelo bairro, numa área de aproximadamente 1 km² e cujo epicentro será o edifício de USJT.

Objetivos e expectativa do workshop
O objetivo do workshop é, estabelecer, através de uma experiência livre e sensitiva (artística/poética) uma aproximação ao espaço urbano, especialmente ao espaço público, que seja ao mesmo tempo informacional (isto é, capaz de reunir dados sobre as condições e caraterísticas do espaço público) e lúdica, abrindo possibilidades de compreensão do ambiente urbano que as abordagens técnicas não são capazes de permitir, ou pelo menos não são capazes de incentivar. Os ministrantes do workshop entendem que este tipo de abordagem seja importante para jovens estudantes que, interessados pela cidade, procuram novas formas de se relacionar com ela. A expectativa, portanto, é que as atividades deste workshop possam não apenas informar, mas sobretudo estimular os participantes, alunos de arquitetura e de design, a se apropriarem de formas alternativas de aproximação à cidade, formas que, contudo, não são recentes, pois as experiências nesse sentido realizadas por dadaístas nos anos 1930 têm já quase 90 anos!
Apresentar esses caminhos aos participantes e transformá-los em agentes disparadores de ações de experimentação de cidade e do espaço público, pode configurar uma oportuna estratégia de releitura e reinterpretação do espaço urbano e, mais do que isso, de fruição e apropriação coletiva a partir de visões “desacostumadas”, “inovadoras”, “fora do comum”, “conscientes” do deslocamento na cidade na qual moram. Essa percepção à deriva poderia estimular uma “autoconsciência” de fenômenos que normalmente passam desapercebidos na vivência cotidiana da cidade, como o fato de ir todos os dias à escola, ou a minha casa, ou ao cinema, etc.

Realização PGAUR – Programa de Mestrado em Arquitetura e Urbanismo

Informações gerais: http://representar2015.blogspot.com.br/p/1_70.html


LOCAL

Universidade São Judas - unidade Mooca

Rua Taquari, 546, Mooca, São Paulo - SP, Brasil
São Paulo, São Paulo

Comentários