Café Tecnológico // Cidades invisíveis Espectro Integral

27 Abr 2016 19:30 Estúdio LILO

Seguindo o propósito de viabilizar experiências lúdicas com tecnologia de modo acessível, surge o Café Tecnológico. Trata-se de um bate-papo com grandes nomes do mundo da economia criativa, arte digital e design, voltados para o campo da inovação.


Por que fazer o Café Tecnológico?

O Estúdio LILO acredita na multiplicação de boas ideias e na divulgação de projetos interativos, sustentáveis, revolucionários. Nosso espaço de trabalho é aberto à perspectivas diversas e, por isso, tornar o Café Tecnológico um evento constante que permite atingir novos públicos e incluir a comunidade em debates sobre inovação e criatividade.

Como funciona?

Há convidados especiais a cada edição, e um mediador do LILO. Os ouvintes podem participar livremente, contribuindo com o debate por meio de perguntas, networking e degustando um delicioso café com a gente.


O que vamos debater?

Os temas são diversos, porém todos voltados para o campo da tecnologia e design de interatividade. Temas como Internet das Coisas, FabLabs, fabricação digital, experiência interativa, entre outros são fundamento para as futuras edições.


Quem colabora/quem contribui?

O principal parceiro é o Garagem FabLab, que funciona como uma extensão dos temas tratados em nossos debates. Através do Clube Maker, qualquer pessoa interessada pode colocar em prática os conceitos abordados. Para saber mais clique aqui: http://garagemfablab.com.br/clube-maker/.


Cidades invisíveis Espectro Integral



Para que servem as mais espantosas invenções técnicas que o mundo tem agora à sua disposição, se faltam condições para delas retirar proveito, não acrescentam nada ao lazer, e nos falta imaginação?

Constant - Outra cidade para outra vida (1959)


Não é difícil imaginar um futuro para as grandes áreas urbanas, onde o espaço público foi completamente relegado ao virtual. Um futuro onde qualquer tipo de congregação é vista como uma provocação, e onde as tecnologias que um dia foram utilizadas para promover ação participativa sobraram como a única plataforma de discurso público.


Podemos considerar públicos os espaços virtuais mantidos por iniciativas privadas? Quais ferramentas tecnológicas, conceituais e sociais serão necessárias para potencializar e legitimar novas formas de ocupação e apropriação de espaços físicos e virtuais?


Thiago Hersan
Tem graduação e mestrado em Engenharia Elétrica e da Computação na Carnegie Mellon University, USA, e trabalhou pesquisando tecnologias de fabricação de semicondutores e circuitos integrados. foi engenheiro-designer em uma empresa que desenvolve brinquedos robóticos para fins acadêmicos e educacionais. Como integrante do coletivo Astrovandalistas, desenvolve tecnologias digitais para ampliar as possibilidades de comunicação afetiva, e criar experiências públicas compartilhadas.

Recentemente trabalhou como pesquisador residente no FACT em Liverpool, onde desenvolveu FACTLab, um espaço de experimentação para projetos de arte e tecnologia. Hoje, trabalha com educação, arte, cultura digital, e outras coisas.

LOCAL

Estúdio LILO

Rua Harmonia, 797 - Sumarezinho, São Paulo - SP, Brasil
São Paulo, São Paulo

Comentários