Oficina de Microperformances no TIP

16 Jul 2013 18:30 TIP

O ORGANIZADOR DESSE EVENTO FOI
organizacao

TIP

O TIP é uma atmosfera de aprendizado nas áreas de criatividade, tecnologia e empreendedorismo. A motivação do TIP é contribuir com a perspectiva do desenvolvimento regional através da economia criativa. O TIP é o braço de treinamento, inovação e pesquisa da Mkt Virtual.

"Estudos sobre o extra(ordinário)"
Oficina de Microperformances no TIP com Daniel Barra

Por que não tentar fazer das nossas próprias vidas uma obra de arte?

 

Sobre a oficina / carga horária

Uma Microperformance por um lado, é uma ação artística espontânea, por outro, é uma estratégia de mudança e transformação social. A diferença começa na produção de si mesmo, para isso o participante é convidado a lançar um olhar reflexivo sobre suas experiências no dia a dia. O foco do tema está em tirar do seu cotidiano a capacidade de produzir novidades, novos caminhos, posturas profissionais e de relação com o seu entorno.

 

Sem invenção não há solução!

 

A oficina pretende aguçar e treinar a criatividade dos participantes, indicando ferramentas e pequenas soluções artísticas para quem busca por mais produtividade e diversificação. Ideias e ações que podem ser aplicadas em casa, no trabalho ou na rua. Cores, objetos, atitudes, moda, surpresas e inovações...  

 

A partir de um esquema dinâmico e transdisciplinar, ferramentas do mundo das artes e da filosofia nos ampliam a percepção nas pequenas e ligeiras experiências cotidianas. A partir daí, nos tornamos aptos para operar pequenas transformações que fazem toda a diferença. 

 

A oficina é aberta a todos. Não é necessário nenhum tipo de pré-requisito.

 

A oficina é composta de 9 horas de duração (carga horária total, durante as férias de julho).

16/07/2013 - TERÇA (19:00h às 22:00h)

18/07/2013 - QUINTA (19:00h às 22:00h)

20/07/2013 - SÁBADO (das 13:00h às 16:00h)


Microperformance

Microperformance é o termo usado por Flávio Pons, artista brasileiro radicado na Holanda, para descrever algumas de suas ações artísticas efêmeras e espontâneas. Um código aberto a possíveis desdobramentos, onde se propõem pequenas ações, pílulas e surpresas relacionadas a uma situação, evento ou contexto social qualquer. As microperformances formam uma estratégia para tornar possível a experiência da arte no curso da vida cotidiana. 
 
A oficina colaborativa propõem desenvolver a ideia de "microperformance" onde a orgiem se encontra na performance art surgida na década de 60. A palavra performance fora do contexto da arte é comumente referida ao desempenho de um profissional ou de uma máquina-aparelho qualquer. Como seria observar a nossa profissão-função através do olhar da arte? 
 
A partir de um esquema dinâmico e transdisciplinar a oficina pretende desenvolver a criatividade dos participantes chamando a atenção para a sua potência singular de produzir diferenças, inovar e refletir. A oficina é aberta a quem estiver interessado em pesquisar a cerca do extra(ordinário) sob um olhar artístico, inserido em nosso ambiente de trabalho e nas nossas relações sociais. 
 

 

Por que não tentar fazer das nossas próprias vidas uma obra de arte?. 

 

Sobre o professor

Daniel Barra é formado em informática industrial pela Escola Técnica Federal de São Paulo e professor de capoeira pelo grupo Canto & Magia. Estudou jornalismo na Universidade Católica de Santos, psicologia na Universidade Santa Cecília, filosofia na Escola Nômade de Filosofia em São Paulo e frequentou o curso de comunicação e artes do corpo da PUC-SP. 

 
Possui trabalhos como agente cultural e artista desenvolvidos em diferentes linguagens abordando performance, música, dança contemporânea e artes visuais. Em 2007 foi contemplado com o Prêmio Estímulo de Música da Secretaria Cultura com o projeto musical Geração SP, reunindo e revelando artistas da música contemporânea brasileira como Tulipa Ruiz, Bárbara Eugênia e Luisa Maita. 
 
Trabalhou com os artistas Luis Garay (Ar), Marcelo Evelin (Br), Ana Borralho e João Galante (Pt), Nina Boas (Fr) entre outros. Participou de residências artísticas em Buenos Aires, Amsterdam, Kyoto, Teresina e São Paulo. Coordenou a residência "Corpo que Carrega" no Núcleo do Dirceu, em Teresina, como parte do projeto CABEÇADA que criou em 2007, uma plataforma de pesquisa do imbricamento entre a capoeira e as artes performativas. 
 
Desde 2007 trabalha paralelamente com produção de espetáculos de dança, infantil, teatro e música. Durante as produções pode acompanhar de perto o trabalho de mestres como a diretora Cristiane Paoli Quito e a bailarina Tica Lemos, entre outros, participando de projetos como a exemplo da premiada trilogia da Cia Nova Dança 4. Trabalhou anteriormente como jornalista cultural e Dj durante dez anos. Desde 1999 realiza eventos de arte e cultura ligados a ações alternativas pensadas em diferentes cenários.
LOCAL

TIP

Rua Carvalho de Mendonça 238 - 7º andar, Santos - SP
Santos, São Paulo

Comentários